Museu Capixaba do Negro apresenta Luciano Feijão na exposição “Torções”

16 de setembro de 2016

Por Paulo Gois

Abrir uma reflexão estética e política para problematizar a forma como mulheres e homens negros são retratados na história, evidenciando, como contraponto radical, marcas, intervenções e potencialidades do corpo. 

Esta é a proposta da exposição “Torções”, do artista Luciano Feijão, aberta nesta quinta-feira no Museu Capixaba do Negro “Verônica da Pas” - Mucane, no Centro de Vitória/ES.

A mostra, contemplada pelo primeiro Edital de Ocupação do Mucane (2015), apresenta 30 desenhos exclusivos, produzidos em carvão, cortes de estilete e guache sobre papel em diferentes formatos com a proposta de construir imagens onde o conceito de "torção" — visto a princípio dentro de um desenvolvimento estético — se apresente também como força política afirmativa, opondo-se à ideia de objetificação do negro, que naturaliza e colabora para a construção de uma subjetividade racista.

- "Esse conjunto de desenhos propõe torções progressivas a partir da transfiguração da imagem de um suposto escravo, distante, neste momento, de sua condição objetiva e meramente inteligível. A obra é o próprio corpo da liberdade irremovível", diz o artista.

Conceito
Em “Torções”, Feijão amplia sua produção acadêmica, alinhando sua pesquisa de mestrado à sua prática em desenho. Entre as descobertas resultantes está o anúncio de jornal de Cachoeiro do Itapemirim-ES, intitulado "O Cachoeirano", do fim do séc. XIX, que relata as características de um escravo fujão que se dizia "livre".

É exatamente essa torção do indivíduo escravo / livre que dá inicio a produção das obras. Paralelo a esses estudos, também é possível perceber que o corpo é um tema recorrente na produção artística de Feijão: corpo que se apresenta ativo, vigoroso e detalhado numa riqueza quase cartográfica, onde é percebido como espaço de percurso e memória.

Processo
Além dos trabalhos, o público poderá complementar a visitação conhecendo o processo criativo de Luciano Feijão, onde, em uma sala específica, será exibido um vídeo com o registro do artista em seu ateliê, apresentando, também, os materiais e as técnicas por ele utilizadas. Ao longo do período expositivo, serão realizadas atividades de Arte Educação, como rodas de conversas e oficinas.

A exposição Torções é uma realização da Prefeitura Municipal de Vitória, produção de Gomes+Castro+Lorenção, parceria do Núcelo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal do Espírito Santo e apoio da Universidade Federal do Espírito Santo e Doggueto, Original Hip-Hop.

Sobre Luciano Feijão
Artista, professor e ilustrador, Luciano Feijão é Mestre em Artes pela Universidade Federal do Espírito Santo (2014), onde atuou como docente das disciplinas de Desenho nos anos 2008 - 2009 e 2014 - 2016. Atualmente coordena o Nupie – Núcleo de Pesquisa em Ilustração Editorial, é integrante do PLACE - Plano Conjunto de Espacialidades (UFES) e foi membro fundador do grupo Célula de Gravura (2011). Participou de exposições e coletivas com desenhos e gravuras em Vitória (ES), São Paulo (SP), Los Angeles (EUA) e Cidade do México (MEX).

Ilustra profissionalmente para livros, jornais e revistas desde 2003. Dentre os trabalhos realizados, destacam-se aqueles produzidos para as editoras Record e Abril, para os jornais Folha de São Paulo e Le Monde Diplomatique Brasil e também para a Revista Gráfica – Arte Internacional.

Serviço
Exposição “Torções”, de Luciano Feijão
Visitação: de 16 de setembro até 27 de novembro de 2016. 
Terça a sexta, das 12 às 17 horas. Sábados e domingos: das 12 às 16 horas.
Local: Museu Capixaba do Negro Verônica da Pas (Mucane) - Av. República, nº 121 - Centro - Vitória-ES
Produção, Felipe Gomes — 27 99686.9556/ Mucane (Coordenação) — 3222.4560/ Luciano Feijão — 27 9.8844.8393.

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49