Os vencedores do Troféu Vitória no 22º Festival de Cinema

17 de setembro de 2015















(Foto: Gustavo Louzada)

A noite de encerramento do 22º Festival de Cinema de Vitória, nesta quarta-feira (16), premiou os vencedores do Festival em diversas categorias com o Troféu Vitória. 

Com apresentação das atrizes Nívea Stelmann e Lu Grimaldi, os realizadores subiram ao palco do Theatro Carlos Gomes para receber o prêmio e o aplauso do público.

O último dia de Festival ficou marcado pela presença total de filmes capixabas. 

Fora de competição, “Teobaldo Morto, Romeu Exilado”, de Rodrigo de Oliveira, foi o último longa-metragem que o Festival exibiu na edição deste ano. 

Antes dele, foi lançado o curta-metragem “João”, de Carlos Augusto de Oliveira, e foram exibidos, ainda, os filmes vencedores das duas últimas edições do Concurso de Roteiro Capixaba, “Talvez Amanhã”, de Jeffe Pinheiro, vencedor do concurso de 2013, e “Intenso”, de Ricky Oliveira, roteiro premiado em 2014.

Co-produzido pela Galpão Produções, “Teobaldo Morto, Romeu Exilado”, exibido na Mostra Aurora, dentro da 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes, foi gravado no distrito de Burarama, interior do Espírito Santo, e é o segundo longa do diretor (o mesmo de “As Horas Vulgares”, ao lado de Vitor Graize). Esta foi a primeira exibição do filme em Vitória.

Mais espaço para o cinema local

Além de encerrar o Festival, produções locais estiveram na 2ª Mostra Outros Olhares às 16h no Theatro Carlos Gomes. Uma seleção de documentários e ficções apresentou um panorama exclusivo do cinema produzido no Estado.

E, como discutir cinema é tão importante quanto consumi-lo, o Festival de Cinema de Vitória abriu espaço para o Fórum do Audiovisual Capixaba, em parceria com o Congresso Brasileiro de Cinema e a ABD Capixaba. O evento no Hotel Senac Ilha do Boi, teve o objetivo de reunir, debater e formular propostas em prol do cinema brasileiro, em todas as suas formas de expressão.

Depois de seis dias de intensa programação de cinema, o 22º Festival de Cinema de Vitória já deixa saudade, com o comprometimento de continuar melhorando a cada edição. Este ano, o evento teve um número recorde de inscrições, com aproximadamente 650 filmes inscritos; mais de 100 filmes na programação do Festival; e um tempo maior de exibição, com ampliação de mostras e sessões especiais.


- “Também ganhamos profundidade nas atividades de formação; recebemos cineastas que vieram pela primeira vez ao Festival, além dos veteranos, já queridos pelo público; e contamos com maior número de produções locais, que ocuparam diversas mostras. Tivemos, ainda, ampliação da temática LGBTT, por meio da exibição de filmes e de uma oficina específica sobre o tema no universo do cinema. Nada disso aconteceria sem o companheirismo, a amizade e a solidariedade de toda a equipe, que se dedicou dia e noite para que o Festival acontecesse da melhor forma possível. Ficamos muito felizes por promover, por mais um ano, o maior evento de cinema do Estado”, afirma a diretora do Festival, Lucia Caus.

Premiados do 22º edição do Festival de Cinema de Vitória 

Momento mais aguardado do Festival, a Premiação concedeu 26 troféus aos vencedores em diversas categorias e mostras, incluindo os eleitos pelo júri técnico e pela votação do júri popular, além de 5 menções honrosas. Ao todo, foram contemplados 24 filmes.

Entre os premiados com o Troféu Vitória e menções honrosas, seis produções são do Espírito Santo: “As Fábulas Negras”, de Rodrigo Aragão, Joel Caetano, Petter Baiestorf e José Mojica Moriz, como Melhor Filme de Longa-Metragem pelo Júri Popular; “Planície”, de Gabriel Perrone, como Melhor Roteiro da Mostra Competitiva Nacional de Curtas; “Alguns Tritões”, de André Ehrlich Lucas, como Melhor Filme pelo Júri Popular e com Menção Honrosa na Mostra Competitiva Nacional de Curtas; “Dinossauros”, de Eduardo Madeira, como Melhor Filme da Mostra Foco Capixaba; e “Insular”, de Tati W. Franklin, como Menção Honrosa da Mostra Foco capixaba e Prêmio de Melhor Filme pela Oficina de Crítica Cinematográfica, ministrada por André Dib.

Humberto Carrão foi o ganhador do Melhor Filme na 19ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas com a produção “À Festa, À Guerra”. O grande prêmio foi entregue pelo ator Matheus Nachtergaele, homenageado nacional desta edição



Contemplado com três Troféus Vitória, o grande premiado da noite foi o curta de ficção vindo do Rio de Janeiro, “À Festa. À Guerra”, de Humberto Carrão, na Mostra Competitiva Nacional de Curtas. O filme ainda recebeu os prêmios extras, concedidos pelas apoiadoras do Festival, Cinecolor, Mistika, DOT, CiaRio e Link Digital. Na lista de vencedores, também se destaca o longa paulistano de ficção “Sinfonia da Necrópole”, de Juliana Rojas, pela Mostra Competitiva Nacional de Longas, com dois troféus – de Melhor Filme de Longa-Metragem e Melhor Interpretação para o Elenco.

Prêmio Canal Brasil

Além da premiação do Festival, o Canal Brasil, por meio de um júri específico, concedeu o Troféu Canal Brasil e R$ 15 mil à produção carioca “Eu Queria ser Arrebatada, Amordaçada e, nas Minhas Costas, Tatuada”, de Andy Malafaia, pelo Prêmio Canal Brasil de Curtas-Metragens. O filme premiado entra para a grade de programação do canal e concorrerá, ainda, ao Grande Prêmio Canal Brasil de Curtas-Metragens, no valor de R$ 50 mil.

Confira a lista dos premiados do 22º Festival de Cinema Vitória

5ª Mostra Competitiva Nacional de Longas

Troféu Vitória de Melhor Filme de Longa-Metragem: Sinfonia da Necrópole, de Juliana Rojas.

Troféu Vitória- Melhor Direção em Longa-Metragem: Allan Ribeiro, pelo filme Mais do Que eu Possa me Reconhecer.

Troféu Vitória - Melhor Roteiro em Longa-Metragem: André Novais Oliveira, pelo filme Ela Volta na Quinta.

Troféu Vitória - Melhor Interpretação: elenco do filme Sinfonia da Necrópole, de Juliana Rojas.

Troféu Vitória - Melhor Contribuição Artística: Nervos de Aço, de Maurice Capovilla.

Troféu Vitória - Melhor Filme pelo Júri Popular: As Fábulas Negras, de Rodrigo Aragão, Joel Caetano, Petter Baiestorf e José Mojica Moriz.

Menção Honrosa: elenco de Ela Volta na Quinta, de André Novais Oliveira.

19ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas

Troféu Vitória - Melhor Filme: À Festa. À Guerra, de Humberto Carrão Sinoti.

Troféu Vitória - Melhor Direção: Nathália Tereza, pelo filme A Outra Margem.

Troféu Vitória - Melhor Fotografia: Henrique Sales, pelo filme À Festa. À Guerra, de Humberto Carrão Sinoti.

Troféu Vitória - Melhor Roteiro: Gabriel Perrone, pelo filme Planície, de Gabriel Perrone.

Troféu Vitória - Melhor Concepção Sonora: À Festa. À Guerra, de Humberto Carrão Sinoti.

Troféu Vitória - Melhor Montagem: Leonardo Sette, Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, por A Copa do Mundo no Recife, de Kleber Mendonça Filho.

Troféu Vitória - Melhor Direção de Arte: Fabiola Bonofiglio, por Tarântula.

Troféu Vitória - Melhor Atriz: Eduarda Samara, em Sem Coração, de Nara Normande e Tião.

Troféu Vitória - Melhor Ator: Pepa Quadrini, por sua atuação em A Outra Margem, de Nathália Tereza.

Troféu Vitória - Prêmio Especial do Júri: Até a China, de Marcelo Marão.

Troféu Vitória - Melhor Filme pelo Júri Popular: Alguns Tritões, de André Ehrlich Lucas.

Menção Honrosa: Alguns Tritões, de André Ehrlich Lucas.

Premiações extras:

- Prêmio do Canal Brasil de Curtas-Metragens: Eu Queria ser Arrebatada, Amordaçada e, nas Minhas Costas, Tatuada, de Andy Malafaia.

- Prêmios da Cinecolor, Mistika, DOT, CiaRio e Link Digital: À Festa. À Guerra, de Humberto Carrão Sinoti (seguindo o Melhor Filme pelo Júri Técnico).

4ª Mostra Foco Capixaba

Troféu Vitória - Melhor Filme Foco Capixaba: Dinossauros, de Eduardo Madeira.

Menção Honrosa: Insular, de Tati W. Franklin

5ª Mostra Quatro Estações

Troféu Marlene - Melhor Filme: Nova Dubai, de Gustavo Vinagre.

Menção Honrosa: elenco e diretor de Sailor, de Victor Ciriaco.

4ª Mostra Corsária

Troféu Vitória, sem ordem de classificação:

A Casa Sem Separação, de Nathália Tereza

Sem Título # 1: Dance of Leitfossil, de Carlos Adriano.

De Terça pra Quarta”, de Victor Costa Lopes.

Menção Honrosa: Javaporco, de Leandro das Neves e Will Domingos.

16º Festivalzinho de Cinema

Troféu Vitória - Melhor Filme pelo Júri Popular: A Culpa é do Neymar, de João Ademir.

2ª Mostra Outros Olhares

Troféu Vitória - Melhor Filme pelo Júri Popular: Coisas de Menino, de Bipe Couto e Dayana Cordeiro.

2ª Mostra de Animação

Troféu Vitória - Melhor Filme pelo Júri Popular: Até a China, de Marcelo Marão.

Sessão Especial BNDES

Troféu Vitória - Melhor Filme pelo Júri Popular: Tempos Idos, de Maurício Rizzo.

Oficina de Crítica

- Prêmio de Melhor Filme pela Oficina de Crítica Cinematográfica ministrada por André Dib e que contou com a participação de Antonio Carvalho Nogueira, Aparecida Torrecillas, Déborah Andrade, Iza Silva, Lívia Sá, Lucas Schuina, Marcos Barcellos e Mário Gordilho: Insular, de Tati W. Franklin, curta-metragem exibido na 4ª Mostra Foco Capixaba. 

Como parte dessa premiação, uma crítica sobre o filme premiado será publicado na próxima edição do Caderno Pensar do jornal A Gazeta.

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49