Festivalzinho de Cinema apresenta filmes para estudantes da rede pública da Grande Vitória

12 de setembro de 2015
"O balé da chuva", de Henrique Farias, um dos filmes do festivalzinho 

A programação do 22º Festival de Cinema de Vitória, de 11 a 16 de setembro, reserva espaço para crianças e adolescentes. 

O 16ª Festivalzinho de Cinema vai exibir curtas-metragens variados no Cine Metrópolis, na Universidade Federal do ES (Ufes). Os nove filmes serão apresentados em duas sessões diárias, às 9 e às 14h, para estudantes da rede pública de ensino de Vitória, Vila Velha e Cariacica/ES. As sessões são pré-agendadas com as escolas, conforme tabela abaixo.

Com uma plateia formada por cerca de três mil estudantes por edição, o Festivalzinho sensibiliza crianças e adolescentes para as artes, promovendoum primeiro contato com o cinema. Cumpre, ainda, o papel de aproximar o cinema da educação, apresentando o audiovisual como ferramenta de trabalho para educadores.

A curadora da mostra, a programadora de audiovisual Rosemeri Barbosa, ressalta o diálogo que o Festivalzinho construiu ao longo dos anos com as escolas: 

- “Os educadores nos procuram já com bastante antecedência para garantir a parceria com a escola porque é um espaço oportuno para os estudantes terem contato com uma diversidade de filmes vindos desde Rio e São Paulo até do Amazonas, por exemplo, que não seriam acessíveis em salas comerciais ou em casa, e a sessão de cinema vira não só diversão como educação também. Em sala de aula, após a sessão, cada educador propõe uma atividade com base nos filmes assistidos”.

Além de acompanhar as sessões, os participantes votam no curta-metragem preferido. O filme mais votado leva o Troféu Vitória-Júri Popular e será reexibido na próxima edição do Festival.

De segunda a quarta-feira (14 a 16/9), no Cineclube Metrópolis – UFES
Sessões às 9 e às 14h para as seguintes escolas pré-agendadas:

Centro Educacional Comunitário (REAME) – Cruzeiro do Sul – Cariacica
EEEF Francelina Carneiro Setúbal – Itaparica – Vila Velha
EMEF Eliane Rodrigues dos Santos – Ilha das Caieiras – Vitória
EMEF José Áureo Monjardim – Fradinhos – Vitória
EMEF Neusa Nunes Gonçalves – Nova Palestina – Vitória
EMEF São Jorge – Rio Marinho – Cariacica
UMEF Maria Eleonora D’Azevedo Pereira – Rio Marinho - Vila Velha
UMEF Professor Luiz Malizeck – Divino Espírito Santo – Vila Velha

Filmes selecionados

- Mãe de giz, de Almir Corrêa (ANIMAÇÃO, 6 min./PR) - link para fotos: http://migre.me/qX9Sj
Sinopse: Inspirado em uma história real. Uma menina órfã desenha sua mãe no piso de um orfanato no Iraque. Então, ela tira os sapatos e deita sobre o desenho para poder sentir o amor de sua mãe morta na guerra do Iraque.



- Miss & Grubs, de Camila Kammura e Jonas Brandão (ANIMAÇÃO, 10 min./SP) - link para fotos: http://migre.me/qX9Tw
Sinopse: Em uma floresta escura, sem nenhum raio de luz, onde nem o amor era capaz de penetrar, vive uma pequena roedora chamada Miss. Ela nunca se atreveu a sair da casa em formato de ovo em que vivia sozinha. Mas, quando sua fonte de energia se esgota, Miss precisa aventurar-se na floresta escura que cerca a perfeita casa.

- Tênis da hora, de Thomas Larson (ANIMAÇÃO, 12 min./SP) - 

Sinopse: O baile está bombando e Duartson se prepara para o tão esperado encontro com Cicinha, a garota que mexe com seu coração. Mas uma visita inesperada de Toninho, seu amigo aspirante a funkeiro, muda o rumo da noite. Entre beat boxes, funks e sonhos com Cicinha, Duartson se envolve em uma enrascada com o cara mais mal encarado da comunidade. Baseado no conto “A Chinela Turca”, o curta traz para os dias de hoje a história escrita por Machado de Assis no século XIX.

- Alô criançada!, de Raoni Seixas e Wagner Novaes (FIC, 15 min./RJ) - 

Sinopse: Sem descanso, um pai trabalha todos os dias, principalmente quando chega o natal. Apesar de ser animador de festas e passar a maior parte do tempo como super-herói de várias crianças, sua rotina não é das mais divertidas.

- O balé da chuva, de Henrique Farias (FIC, 12 min./PR) - 

Sinopse: Em uma casa de madeira construída por imigrantes russos vivem Eugênia e sua filha Lalá. A criança tem pesadelos em uma noite de temporal. Sonha que é levada pelo vento, que tem seu quarto inundado de água. É quando Lalá sonha com seu falecido pai que sua mãe - até então ocupada em conter as goteiras e janelas que se abrem - finalmente entende que a filha precisa de sua atenção. Em um improviso, Eugênia compara as gotas de água da chuva com bailarinos e então se recorda do marido, que foi bailarino na juventude. Ambos dançam o Balé da Chuva.


- Salu e o cavalo marinho, de Cecilia Fontes (ANIMAÇÃO, 13 min./PE) -

Sinopse: O filme conta a história de Mestre Salustiano, um dos artistas populares mais famosos do Brasil. Filho do rabequeiro João Salustiano, Salu logo cedo sonha em participar de um grupo de Cavalo Marinho, folguedo típico da região onde mora.

- Vai que é tua Tafarinha, de George Augusto (FIC, 5 min./AM) - 

Sinopse: Um curumim desce o Rio Amazonas em sua canoa e vai até a casa de seu amigo que tem uma bola, juntos, encontram na floresta Amazônica todo o material necessário para a brincadeira.

- Se não..., de Moacyr Freitas (FIC, 16 min./AM) - 

Sinopse: Zé Ninguém é o velho do saco, que vive no imaginário das crianças daquela cidadezinha do interior. João, Juca, Guilherme e Marquinhos, em suas brincadeiras do cotidiano, sempre às voltas com o tal Zé Ninguém. Um dia, o sumiço do robô de Guilherme faz com que ele acuse João de ter pegado o robô. Já como médico, Guilherme é chamado para atender a uma urgência e, ao se deparar com o corpo de um desconhecido, ele passa a reviver todas as suas lembranças de infância...



- A culpa é do Neymar, de João Ademar (FIC, 10 min./RJ) -

Sinopse: O curta, que se passa no ano de 2011, apresenta a história de Jair, um botafoguense fanático que entra em delírio ao descobrir que Túlio, seu único filho, influenciado pela Neymarmania, passou a torcer pelo Santos. 
Nesse contexto, Sandra, sua esposa, buscará todas as alternativas para trazer o marido à razão e restaurar a paz familiar.

FESTIVAL




O 22º Festival de Cinema de Vitória é uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

Conta com o patrocínio do Ministério da Cultura através da Lei Rouanet, da Petrobras, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Rede Gazeta.

Parceria da Secretaria de Cultura do Espírito Santo e da Prefeitura Municipal de Vitória, além do apoio institucional do Instituto Sincades, do Canal Brasil, CiaRio, DOT, Mistika, Cinecolor, Link Digital, Cesan, Ufes e site Adoro Cinema.

Enviado por Ingrid Pagani

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49