Festival de cinema do Mercosul homenageia cineasta Penna Filho

29 de junho de 2015

A homenagem a 
Penna Filho foi
realizada na estreia do filme "Das Profundezas" no Fam



Fabiana Heilman Penna, filha do cineasta, e continuadora do seu trabalho.
(Foto Tim Gerlach)



O palco foi pequeno para a equipe do longa metragem. 

Filha do cineasta Penna Filho, Fabi Penna apresentou o último filme realizado por seu pai, Das Profundezas, que estreou na noite de domingo, dia 21, no Festival do Mercosul com casa lotada mais uma vez. 

- “Penna é parte da história do cinema brasileiro e se ele estivesse aqui, ainda estaria escrevendo roteiros, ligando pra Ancine, daquele jeito dele”, disse a filha do homenageado.

Foram exibidos marcos da carreira do cineasta, falecido em abril aos 79 anos, e que realizou ao longo da sua vida em torno de 30 filmes. Mesmo em meio à quimioterapia contra o câncer, Penna não parou de filmar, inclusive descendo em uma mina para dirigir cenas do filme sobre os mineiros de carvão.




Fabi Penna lembrou que Das Profundezas começou em 1995 com o premiado curta-metragem Naturezas Mortas, também sobre a mineração na região Sul de Santa Catarina. 

Boa parte da equipe subiu ao palco e também o personagem que inspirou a
história, o líder mineiro José Paulo Serafim. 

Marx Vamerlatti, diretor de fotografia do longa metragem e de muitas produções catarinenses, também falou.

-  “Naturezas Mortas foi meu primeiro set, com 17 anos, como assistente de câmera. Foi um grande aprendizado e agora fecha um ciclo”, disse.



Fabi Penna assumiu o comando da companhia cinematográfica deixada pelo pai e já iniciou as primeiras etapas de trabalho para a realização de outro grande projeto acalentado por Penna Filho há um bom tempo.

- "será a realização de outro sonho do meu pai, como foi Das Profundezas, que ele levou muitos anos para concretizar, tirando-o dos rabiscos de um velho roteiro para a realidade de agora".

Gosto muito dessa foto aí: depois de degustarmos umas taças de vinho (disse a ele sobre vinho: podexá qui ninguém conta pra Memê, não kkkk) e uns petiscos numa birosca do Hortomercado da Praia do Suá, descemos e ficamos conversando no estacionamento, o grupo todo. 

Ele sempre falando de outros projetos, antes mesmo de ter terminado Das Profundezas. Lembro-me que disse a ele:

- "Manuvéi, nós ainda temos muita coisa para dizer ao mundo". 

E temos mesmo. Ele continua dizendo através do registro histórico do trabalho nas minas de carvão de Santa Catarina inois aqui, bateclando doidera nesta trolha eletrônica bilgueitiana istivijobiana e dentro de uns 45 dias através da Rádio Clube da Boa Música, vinculada a este Portal DOPC.

Penna Filho começou sua carreira no rádio do Espírito Santo. Nasceu em Santo Antonio, Vitória/ES. 

Em 1959 foi para São Paulo, onde trabalhou nas principais redes de televisão - TV Escelsior, TV Bandeirantes, TV Globo, entre outros. Seu sonho sempre foi fazer cinema. Fez um dos melhores documentários sobre o futebol brasileiro trabalhando vida e glória do grande Ademir da Guia (Oswaldo Oleari).

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49