Documentário sobre a história do Contestado será lançado na próxima segunda-feira (16)

12 de dezembro de 2013

Em 1963, com um acordo amigável, o Espírito Santo e Minas Gerais definiram os seus limites territoriais na Região do Contestado, entre os municípios de Barra de São Francisco e Montanha.

Antes desse acordo, no entanto, por quase 30 anos a localidade tornou-se uma área de dupla jurisdição, muito insegura e violenta. Esquecidos na história, esses fatos ainda vivem na memória dos moradores locais. É a partir dessa memória que se constrói o documentário “Contestado 50 Anos”, com direção e roteiro de Cloves Mendes e Romulo Musiello.

Realizado em parceria com a Secretaria de Cultura (Secult) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o filme será lançado na próxima segunda-feira (16), às 20 horas, no Cine Metrópolis, da Ufes, em Goiabeiras.

Com 30 minutos de duração, o documentário reúne depoimentos de personalidades, a exemplo de Maria Antonietta Lindenberg; Luciano Pereira, prefeito de Barra de São Francisco; Wanderson Elizeu Coelho, prefeito de Mantena.

História

A Zona do Contestado era um refúgio predileto para malfeitores, vindos de todas as partes do país. Eles escolhiam o lado territorial em que a lei os beneficiava, ficando desse modo, longe das mãos da justiça. Essa insegurança institucional na região gerou inúmeras provocações, intolerâncias, conflitos e violência.

Estima-se que, guardando a fronteira, havia aproximadamente 1.300 homens no território defendido por Minas Gerais, com armamento pesado e 800 homens no Espírito Santo, armados e entrincheirados. Embora o clima entre as tropas fosse de permanente tensão, não se registrou confronto entre os batalhões da polícia mineira e capixaba.

Um laudo do Exército concluía que a divisa de Minas Gerais com Espírito Santo passava pela Serra dos Aimorés e se fechava entre Itabirinha de Mantena e Mendes Pimentel. De acordo com a avaliação, pertenciam ao Espírito Santo: Mantenópolis, Ametista, Itabirinha de Mantena, Ariranha, Limeira, Boa União e Divino das Palmeiras.


Criou-se a situação de zona litigiosa, pois não havia surgido outro nome definido. O conflito foi criado porque cada um dos estados-membros queria essa terra, e a disputa durou anos. O conflito do contestado foi marcado por disputas pessoais e institucionais e por isso não pode ser caracterizado apenas como uma disputa de coronéis. Era, com efeito, um conflito de Estados, afinal os interesses iam além do âmbito local.

Os municípios de Mantena, por Minas Gerais, e Barra de São Francisco, pelo Espírito Santo, foram os protagonistas da Zona do Contestado. Com a assinatura do acordo entre os dois Estados, em 1963, essa história chegou a um final de superação, concórdia e paz para a região. A partir de então, os dois municípios se desenvolveram e hoje são motivos de orgulho para seus habitantes.

Ficha técnica:
“Contestado 50 Anos”
Duração: 30 minutos
Direção e Roteiro: Cloves Mendes e Romulo Musiello
Produção: Rogério Augusto
Diretor de Fotografia: José Lúcio Campos
Edição: Henrique Alemão
Finalização e Arte: Felipe Mariano
Locução: Igor
Trilha: Mirano Shuller
Edição de áudio e Efeitos: Fábio Pirajá
Direção Geral: Cloves Mendes
Produtora: Jucutuquara Filmes

Contato para entrevistas:
Cloves Mendes - 9 9311 1527

Serviço:
Lançamento do documentário “Contestado 50 Anos”
De Cloves Mendes e Romulo Musiello
Quando: segunda-feira (16)
Horário: 20 horas
Local: Cine Metrópolis, Ufes, Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras, Vitória
Entrada gratuita

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49